Buscar
  • Kadimah

Vamos acender as luzes na noite de 09 de Novembro

Carta Aberta aos Líderes Religiosos, Lideranças Laicas e Todos Seres Humanos

por Marcos L Susskind



No começo da caminhada, o racismo escolhe vítimas.

Uma vez instalado, ele amplia e persegue cada vez mais gente, mais grupos étnicos, sociais, raciais ou religiosos.


Na noite de 09/11/1938, na Alemanha Nazista, ocorreu a chamada Noite dos Cristais ou Kristallnacht.

Era o início do processo de matança indiscriminada - começando com os Judeus.

Milhões de cacos de vidros estilhaçados, brilhando à luz da noite, deram o nome a esta matança e destruição.

1240 Sinagogas foram destruídas e queimadas, todas as escolas Judaicas, os hospitais, 7.000 lojas pertencentes a Judeus foram saqueadas e queimadas, 30.000 Judeus enviados a campos de concentração.

638 Judeus se suicidaram para evitar a morte por marretadas e outras formas violentas.


As vítimas foram os Judeus mas a matança, a segregação e as humilhações tomaram corpo contra outros grupos.

Os próximos foram os ciganos - 85% deles foram mortos na Alemanha.

Seguiu-se com a esterilização forçada dos homens e mulheres negros para acabar com os negros.

Depois de acostumar a população a ver as atrocidades como algo comum, passaram a matar os bebês com deficiência mental e mais tardes os deficientes adultos.

Veio então a esterilização obrigatória de quem tivesse doenças hereditárias, de quem fosse mudo ou surdo e a prisão em campos de concentração e extermínio das Testemunhas de Jeová, dos pacifistas e finalmente dos chamados “seres anti-sociais” - prostitutas, alcoólicos, homossexuais e pedintes.


O que começa com os Judeus nunca acaba só com Judeus.


Há muito pouco tempo tivemos matanças em Sinagogas de Jerusalém, Hamburgo, Halle, Pittsburgh, Bruxelas, Mumbai, Copenhagen.

Mais recentemente, repetindo a expansão de ódio, o terror saiu do mundo Judaico e tivemos os ataques a igrejas em Christchurch (Nova Zelândia), em Kaduna (Nigéria), na Indonésia, no Iraque, em Londres, Estrasburgo e nas últimas semanas em Nice e Lyon. Até os Islamistas Sunitas sofrem com ataques de Xiitas a mesquitas no Irã, na Síria e no Iraque com milhares de mortes enquanto Xiitas viram suas mesquitas destruídas com muitos mortos em Bagdá, no Paquistão e na Arábia Saudita.


No ano passado, a Marcha da Vida nos conclamou a marcar a Kristallnacht com uma mensagem de unidade e de esperança através de uma campanha única a nível internacional intitulada “Let There Be Light” (Que Haja Luz).


Este é um chamando às famílias, escolas, instituições e locais de culto ao redor do mundo a manter as luzes acesas na noite de 9 de novembro, como um símbolo de solidariedade e compromisso mútuo na luta contra o antissemitismo, o racismo, o ódio e a intolerância.

Como parte desta histórica iniciativa virtual, gente de todo o mundo poderá voltar a somar sua voz à campanha, de novo neste ano.

Considero fundamental que lugares de importância espiritual e religiosa ao redor do mundo mantenham suas luzes acesas nesta noite.


A cidade de Jerusalém confirma que mensagens pessoais e orações desta campanha virtual serão projetadas nas muralhas que circundam a Cidade Velha.


Vamos então iluminar o mundo contra a obscuridade e o ódio, unindo-nos a esta iniciativa e compartilhando esta mensagem com a família, a comunidade, a escola, o local de culto e os amigos.


Lembrando que a luz é o único antídoto à escuridão e racismo é uma das formas mais escuras de comportamento humano.

2,497 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png
Image by True Agency

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação