Buscar
  • Kadimah

O Hezbollah aparentemente queria nitrato de amônio para a guerra contra Israel

A TV de Israel cita avaliação que Nasrallah pode ter pretendido usar o estoque que causou a explosão do porto na 'Terceira Guerra do Líbano', observa casos na Alemanha e no Reino Unido onde o Hezbollah estava com o mesmo material



O relatório do Canal 13 observou que “o material que explodiu no porto não é novo para Nasrallah e Hezbollah”.


Ele detalhou as conexões anteriores do Hezbollah com o nitrato de amônio, incluindo incidentes na Alemanha e no Reino Unido, ambos amplamente relatados na época, nos quais seus agentes foram encontrados com quantidades substanciais do material.

Em Londres, em 2015, após uma denúncia do Mossad, a inteligência britânica encontrou quatro agentes do Hezbollah com 3 toneladas de nitrato de amônio em sacos de farinha, disse a reportagem da TV, citando reportagens estrangeiras.

Um processo semelhante levou à descoberta na Alemanha de agentes do Hezbollah com nitrato de amônio suficiente "para explodir uma cidade", disse o relatório.

A Alemanha posteriormente baniu o Hezbollah como organização terrorista.

“Isso é o que Nasrallah pretendia fazer na Europa”, disse a reportagem da TV.

“Em relação ao que foi armazenado no porto de Beirute, a avaliação é que Nasrallah pretendia usá-lo na Terceira Guerra do Líbano.”

(Israel lutou duas guerras com o Líbano - em 1982, e, após um ataque na fronteira do Hezbollah em que soldados israelenses foram mortos e sequestrados, em 2006).


Enquanto isso, o ex-chefe do exército israelense e ex-ministro da defesa Moshe Ya'alon disse a um site de notícias saudita que uma explosão em um grande depósito de armas do Hezbollah no porto precedeu a explosão de nitrato de amônio.



Ya'alon, do partido Yesh Atid-Telem, foi citado pelo site Elaph Arabic como tendo dito que o Hezbollah estava ciente da presença do material lá e tinha controle sobre o porto.

Ele disse que Israel alertou o Líbano sobre os estoques de armas do Hezbollah e o estoque de materiais perigosos em Beirute e em outras partes do país.

Ele acrescentou que cabia ao povo libanês escolher a independência ou continuar a servidão ao Irã por meio do Hezbollah.


O relatório do Canal 13 também observou que Nasrallah, em um discurso de 2016 , ameaçou lançar mísseis contra um tanque israelense de amônia na cidade portuária de Haifa.

“O Líbano tem uma 'bomba nuclear' hoje”, disse Nasrallah no discurso.

“A ideia é que alguns de nossos mísseis, combinados com a amônia de Haifa, criarão o efeito de uma bomba atômica.” (O tanque já foi esvaziado.)

Fonte Times of Israel

510 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação