Buscar
  • Kadimah

Neonazistas são condenados por formação de "organização terrorista"

Oito membros do grupo neonazista Revolution Chemnitz foram condenados a penas que chegam até cinco anos e meio de prisão nesta terça-feira (24/03).

Eles planejavam atiçar uma revolta com características de guerra civil em Berlim. Em seu veredicto, o Tribunal Superior de Dresden concordou com a promotoria que o agrupamento constituía uma organização terrorista.

O líder, Christian K., recebeu a pena mais longa, de cinco anos e seis meses, por fundar e ser membro de uma associação terrorista.

Os demais réus foram sentenciados a dois anos e três meses por pertencer ao Revolution Chemnitz. Cinco deles também foram também condenados por perturbação grave da ordem pública, e um outro por agressão grave.

Os homens entre 22 e 32 anos de idade presumivelmente lideravam a cena dos skinheads, hooligans e neonazistas de Chemnitz, e formaram a organização em setembro de 2018, em seguida aos protestos anti-imigrantes naquela cidade do Leste da Alemanha.

Segundo os acusadores, Christian K. convidou os outros sete num chat de internet, onde postou um documento contendo suas metas para o grupo, esboçando um apelo à ação violenta contra "esquerdistas, parasitas, zumbis de [chefe de governo alemã, Angela] Merkel, ditadores da mídia e seus escravos".


Nenhum dos oito extremistas de direita objetou-se aos planos, que incluíam orquestrar uma quase guerra civil em 2 de outubro de 2018.

Eles foram presos pela polícia durante um assim chamado "ensaio", em meados de setembro, quando atacaram refugiados e um grupo de jovens, espancando um deles.

Os promotores basearam suas acusações, em parte, em registros de chat encontrados nos telefones celulares dos réus.

O julgamento transcorreu apesar da pandemia de covid-19, pois qualquer interrupção das audiências superior a dez dias implicaria recomeçar do início o processo.

Fonte DW Brasil


56 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação