Buscar
  • Kadimah

Milhares protestam em Tel Aviv contra proposta de anexação

O líder do Meretz , diz que a mudança criaria 'apartheid'

PorJACOB MAGID



Milhares de israelenses se reuniram em Tel Aviv na noite de sábado para protestar contra a promessa do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu de começar a anexar partes da Cisjordânia no próximo mês.


A polícia inicialmente tentou bloquear a manifestação, mas voltou atrás na sexta-feira, depois de se reunir com os organizadores, que pediram aos participantes que usassem máscaras e seguissem as diretrizes de distanciamento social.

Dezenas de policiais garantiram a manifestação depois que a polícia disse que o número de participantes seria limitado a 2.000, embora o jornal Haaretz falava em 6.000 pessoas no que parecia ser o maior protesto no país desde o início da pandemia de coronavírus.

A manifestação foi organizada pelo partido de esquerda Meretz e pela facção comunista Hadash da maioria da lista conjunta árabe, juntamente com vários outros grupos de direitos de esquerda.


Nitzan Horowitz, chefe da Meretz, disse à multidão que a anexação seria um "crime de guerra" e custaria milhões a Israel, já que a economia já está cambaleando devido à pandemia.

"Não podemos substituir uma ocupação de dezenas de anos por um apartheid que durará para sempre", gritou Horowitz, rouco.

"Sim para dois estados para dois povos, não para violência e derramamento de sangue", continuou ele.

"Não à anexação, sim à paz."

Também participando da manifestação estava o líder da lista conjunta árabe Ayman Odeh, que falou em quarentena por link de vídeo depois que um membro de seu partido contratou o COVID-19.

Odeh disse que todos os judeus e árabes que apoiam a paz e a justiça devem se opor ao plano de Netanyahu de promulgar a soberania israelense em cerca de 30% da Cisjordânia.


Fonte Times of Israel

361 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação