Buscar
  • Kadimah

Manifestantes nacionalistas em Kiev dizem que a Ucrânia está sob 'ocupação' do 'clã judeu'

Banner visando o presidente judeu do país, Vlodymyr Zelensky, exibido em marcha em homenagem aos colaboradores nazistas da Segunda Guerra Mundial

Por CNAAN LIPHSHIZ


Participantes de uma passeata nacionalista na Ucrânia ergueram uma faixa antissemita na quarta-feira condenando a "ocupação e roubo" do país por um "clã judeu".

A faixa, dirigida ao presidente judeu da Ucrânia, Vlodymyr Zelensky, apareceu na marcha anual da OUN-UPA, que leva o nome de movimentos nacionalistas ucranianos que por um tempo se aliaram a Adolf Hitler contra a União Soviética.


“Comemorando o aniversário da ocupação e roubo da Ucrânia pelo clã Judeu Dnipro de Vova Zelensky”, dizia a faixa do tamanho de um outdoor que foi exibida em frente ao escritório de Zelensky.


Zelensky, eleito no ano passado, criticou implicitamente a glorificação dos colaboradores do tempo de guerra, dizendo ao Times of Israel no início deste ano que seria melhor nomear monumentos e ruas do país com nomes de pessoas "cujos nomes não provocam conflito".

Dnipro é uma cidade no leste da Ucrânia com uma grande comunidade judaica.



Mikhail Tkach, diretor executivo da Comunidade Judaica Unida da Ucrânia, disse que a faixa foi um ato de incitamento e pediu às autoridades que punam os responsáveis ​​por ela.

Outros símbolos em exibição na marcha incluíram o logotipo do ultranacionalista Batalhão Azov e uma faixa que dizia “Vidas brancas são importantes”.

Separadamente, o departamento de cultura de Kiev enviou uma carta a um rabino proeminente em Kiev pedindo-lhe que fizesse orações pelos "defensores da Ucrânia de todas as gerações" em 14 de outubro.

Essa data é um feriado nacional conhecido como Dia e Dia do Defensor da Ucrânia dos cossacos, um grupo eslavo que perpetrou pogroms contra judeus no início do século XX.

Muitos judeus ucranianos se opuseram ao estabelecimento de 14 de outubro como feriado nacional em 2015.


Eduard Dolinsky, diretor do Comitê Judaico Ucraniano, criticou a carta, que aparentemente foi enviada a vários clérigos, chamando de "bizarra".

Dolinsky disse que a referência a "todas as gerações" significa que a cidade estava pedindo aos judeus que orassem por Bogdan Khmelnitsky, o líder cossak do século 17 cujo exército matou inúmeros judeus, bem como colaboradores nazistas do século 20.


É uma reminiscência “dos tempos soviéticos, quando os burocratas do partido instruíam os coletivos de trabalho sobre como celebrar a revolução bolchevique”, disse Dolinsky

Fonte Times of Israel

67 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação