Buscar
  • Kadimah

Grupos judeus irritados com reparação de empresa ferroviária holandesa




Organizações judias criticaram a companhia ferroviária nacional holandesa na segunda-feira por não consultá-las adequadamente em discussões para elaborar uma forma de reconhecimento às vítimas do Holocausto que a empresa transportou para campos na Holanda durante a Segunda Guerra Mundial - de onde foram enviadas para os campos de concentração nazistas . A raiva ocorreu depois que a companhia ferroviária NS anunciou na sexta-feira que doaria 5 milhões de euros (US $ 5,6 milhões) a quatro centros memoriais holandeses como um gesto de reconhecimento coletivo.


Mais de 100.000 judeus holandeses - 70% da comunidade judaica - não sobreviveram à guerra.

A maioria foi deportada, e morta em campos de concentração nazistas. A maioria das vítimas holandesas foi reunida em cidades e levada de trem para campos na Holanda antes de ser enviada para a fronteira e colocada em trens alemães para campos de concentração. Gideon Taylor, Presidente de Operações da Organização Mundial de Restituição Judaica, considerou a decisão uma grande decepção para os grupos judeus. "Esta foi uma oportunidade de sentar-se com a comunidade judaica e os sobreviventes ... para chegar a um acordo com uma história que levou à morte de mais de 100.000 pessoas", disse Taylor. "Isso é algo a ser tratado na discussão, na consulta, na cooperação com representantes das vítimas e encontrar uma maneira de honrar a memória daqueles que morreram", acrescentou. A NS pediu desculpas por seu papel nas deportações em 2005.

Há um ano, a empresa disse que cerca de 500 sobreviventes vivos do Holocausto que foram transportados pela empresa receberiam 15.000 euros cada.

Viúvas e viúvos das vítimas eram elegíveis para receber 7.500 euros e, se não estiverem mais vivos, os filhos sobreviventes das vítimas receberiam 5.000 euros. Além disso, a empresa prometeu alcançar uma forma coletiva de reconhecimento para aqueles que não eram elegíveis para reparações, incluindo cerca de 20.000 crianças assassinadas no Holocausto, além de trabalhadores forçados e presos políticos. A NS disse na sexta-feira que pediu aos centros memoriais que usassem a doação para educar os jovens, com "um foco especial na discriminação, incluindo o antissemitismo". Grupos judeus, no entanto, também queriam uma doação para ajudar "os sobreviventes do Holocausto e apoiar a comunidade judaica holandesa devastada pelo Holocausto", afirmou a Organização Mundial de Restituição Judaica em comunicado.

A organização holandesa Central Jewish Consultation disse que a decisão da NS "esfregou uma nova carga de sal nas feridas" da comunidade judaica holandesa. Geert Koolen, porta-voz do NS, disse em um e-mail na segunda-feira que a empresa se reuniu com grupos judaicos enquanto procurava executar o conselho de uma comissão para fazer um gesto de reconhecimento. "Ao fazê-lo, tivemos que levar em conta diferentes grupos de interesse e diferentes ângulos de perspectiva - como vítimas judias que não são elegíveis para a compensação individual, pessoas que lutaram na resistência, trabalhadores forçados ou presos políticos", disse ele. Koolen acrescentou que a empresa lamenta a raiva dos grupos judaicos e disse que a NS está "sempre aberta à possibilidade de contato renovado". Taylor disse que quer que o NS reconsidere. "Acho que isso exige algo maior, mais amplo e mais atencioso", disse ele. "Espero que eles expandam a decisão."

Fonte Washington Post

174 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação