Buscar
  • Kadimah

Grupo pró-palestino de Harvard recebe palestrantes do BDS na Semana do Apartheid de Israel

Uma série de organizações estudantis co-patrocinaram eventos individuais, incluindo a Coalizão Judaica pela Paz.

Por Shiryn Ghermezian



O Comitê de Solidariedade Palestina do Harvard College encerrou sua Semana Anual do Apartheid Israelense, que incluía uma lista de palestrantes e programas anti-Israel e antissemitas.


Os programas, realizados de 26 a 30 de abril praticamente este ano, incluíram webinars intitulados "Healthcare Injustices in Palestine and the COVID-19 Pandemic" e "Desinvestimento como ferramenta histórica para a justiça", que foi uma discussão com o professor Cornel West de Harvard, apoiador do BDS e co-fundador do movimento BDS, Omar Barghouti.


Os participantes do painel incluíram o professor associado do Swarthmore College e defensor do BDS, Sa'ed A. Atshan, e a estudiosa feminista e ativista palestina Yamila Hussein-Shannan, que afirmou que os homens palestinos são "forçados a desfilar nus nas ruas" por soldados e cidadãos israelenses e culpou a opressão das mulheres palestinas na "ocupação" de Israel.

Outro palestrante apresentado foi Sumaya Awad, que expressou apoio aos manifestantes violentos em Israel e promoveu o ódio contra o Estado judeu, de acordo com a Canary Mission.


Várias organizações estudantis co-patrocinaram os eventos da semana, incluindo Harvard Out of Occupied Palestine e Jewish Coalition for Peace, o jornal da escola The Harvard Crimson relatou.

Gilead Ini, analista de pesquisa sênior do Comitê de Precisão em Relatórios e Análise do Oriente Médio (CAMERA), disse ao JNS que não está surpreso que "tal programação discriminatória e antijudaica tenha sido trazida para o campus".


Afinal, disse ele, não faz muito tempo que o mesmo grupo organizou um programa para defender Rasmea Odeh, que assassinou dois israelenses enquanto trabalhava para uma organização terrorista dedicada a eliminar Israel.

"É um objetivo final compartilhado pela Semana do Apartheid e, aparentemente, pelo Comitê de Solidariedade à Palestina", disse Ini.

Ele acrescentou que "a Semana do Apartheid é um ritual anual de propaganda anti-Israel nos campi universitários que se destina, ironicamente, a convencer os alunos de que [o líder anti-apartheid sul-africano] Nelson Mandela estava errado.

No entanto, Mandela reconheceu abertamente 'a legitimidade do sionismo como um nacionalismo judeu ', e foi enérgico em apoiar o direito de Israel de existir. "

Fonte JNS

49 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação