Buscar
  • Kadimah

Eleições de Israel: pesquisa mostra que Netanyahu vence coalizão de 61 assentos pela primeira vez

Para construir uma coalizão à direita, a pesquisa mostrou que Naftali Bennett teria que concordar em sentar-se com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.




O bloco de direita de Israel poderia conseguir 61 assentos, uma pesquisa da 103FM mostrou pela primeira vez desde que as eleições foram convocadas.

No entanto, isso só acontecerá se o Partido Yamina de Naftali Bennett concordar em sentar-se com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.


Se as próximas eleições para o Knesset fossem realizadas hoje, o Partido Likud obteria 32 assentos, New Hope obteria 14 assentos, Yamina obteria 13 assentos, o Judaísmo da Torá Unida e Shas obteriam cada um oito assentos. Isso daria a Netanyahu 61 cadeiras, uma pequena maioria parlamentar. Se Sa'ar decidir aderir também, o bloco alcançaria 75 cadeiras.


Embora o líder do New Hope, Gideon Sa'ar, tenha declarado que não se sentaria com Netanyahu, Bennett não o fez. Bennett se sentou na oposição contra Netanyahu no Knesset de saída e pediu para substituir o governo, mas se absteve de prometer não sentar-se sob ele em uma coalizão futura. Por outro lado, Yesh Atid de Yair Lapid teria 19 assentos, dando-lhe a capacidade de formar uma coalizão com Bennett, Sa'ar, Meretz (4 assentos), Yisrael Beytenu (7 assentos), Trabalhista (5 assentos).

Essa coalizão daria a Lapid 62 cadeiras no Knesset. De acordo com a pesquisa, a Lista Conjunta teria 10 cadeiras, mas não seria necessária para um governo de coalizão.

O Partido Azul e Branco do Ministro da Defesa e Primeiro Ministro suplente Benny Gantz, o Partido Sionista Religioso de MK Betzalel Smotrich (anteriormente a União Nacional), o partido Otzma Yehudit, o Partido Israelense de Ron Huldai e o Partido da Economia de Yaron Zelekha não conseguiriam cruzar o limiar eleitoral. Fonte Jerusalem Post

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação