Buscar
  • Kadimah

Comunidade judaica na Espanha e Europa alertam sobre vice-primeiro-ministro do governo da Espanha

Pablo Iglesias, líder do Partido Podemos, foi nomeado vice-primeiro-ministro e tem uma longa história de ditos antissemitas e anti-israelenses. Ele já descreveu Israel como um estado ilegal. As organizações judaicas alertaram sobre essa designação.

Depois que o primeiro-ministro da Espanha, o socialista Pedro Sánchez nomeou o líder do Podemos, Pablo Iglesias, como vice-presidente do governo, alarmou as diferentes comunidades judaicas no mundo.


Conhecido por seu ódio ao Estado de Israel durante esses últimos anos e desde que ele entrou na política, ele tentou torná-lo público novamente. De acordo com uma reportagem na mídia espanhola neste último fim de semana, várias organizações judaicas e pró-israelenses na Espanha alertaram sobre o passado sombrio de Iglesias com suas frases odiosas e antissemitas, especialmente depois de sua aparição na televisão iraniana em espanhol, Hispan TV.

As frases de Iglesias já haviam começado em 2009, quando ele disse em um post no blog que "o Holocausto era um mero problema burocrático". Mas Iglesias o apagou imediatamente ao entrar na política. O maior jornal judeu do Reino Unido, o Jewish News, publicou sexta-feira (10/01) que Iglesias já havia descrito Israel como um estado ilegal. Ele também comenta o programa que Iglesias conduziu na TV Hispan, Fuerte Apache, onde costumava entrevistar pessoas que falavam contra Israel, como parte da rede de proselitismo iraniana.


A Liga Anti-Difamação, ADL, também alertou sobre Iglesias na sexta-feira em sua base em Nova York e publicou a seguinte declaração: "O novo Vice Primeiro Ministro Espanhol, Pablo Iglesias, organizou um programa de entrevistas sobre "o poder do lobby sionista" com linguagem e difusão de teorias da conspiração sobre judeus. Isso é depreciativo para a comunidade espanhola e todos os judeus e deve ser condenado”, afirmou o comunicado.


___

Fonte: Agencia AJN

114 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação