Buscar
  • Kadimah

Comunidade judaica denúncia 'antissemitismo aberto' em protesto contra coronavírus em Berlim

Comícios apoiados por grupos neonazistas atraíram mais de 20.000 manifestantes na capital alemã para exigir o fim das restrições de vírus

Por TOBY AXELROD




A comunidade judaica de Berlim no domingo expressou consternação com o

antissemitismo aberto mostrado em uma manifestação apoiada por grupos neonazistas que atraíram mais de 20.000 manifestantes na capital alemã para exigir o fim das restrições de coronavírus no dia anterior .


A manifestação de sábado foi chamada de "Dia da Liberdade", uma aparente referência a um documentário de 1935 sobre o exército nazista do cineasta de estimação de Adolf Hitler, Leni Riefenstahl.

Alguns participantes exibiram slogans antissemitas, enquanto outros compararam as regras da Alemanha para impedir a disseminação do coronavírus aos regulamentos nazistas.


"Em retrospecto, essa demonstração confirmou muitos de nossos medos", disse Sigmount Koenigsberg, comissário contra o antissemitismo da Comunidade Judaica de Berlim.

"O Shoah foi repetidamente relativizado e os mitos antissemitas da conspiração faziam parte do repertório padrão".



Uma intervenção de última hora de grupos judeus na sexta-feira levou autoridades a alterar a rota planejada, que teria passado por uma sinagoga principal da cidade durante os cultos do Shabat, disse Koenigsberg.

Os organizadores da manifestação, um grupo com sede em Estugarda chamado Querdenken 711 ("Pensando contra a maré"), haviam se registrado para até 500.000 participantes, e vários grupos neonazistas estavam entre aqueles que pediram que as pessoas participassem, disse o ministro do Interior de Berlim, Andreas Geisel.

O número real de pessoas que aderiram à manifestação ficou aquém dessas ambições e refletiu uma ampla gama de argumentos ideológicos contra as regras de saúde, de acordo com reportagens.


A polícia de Berlim interrompeu a manifestação algumas horas após o início, removendo à força alguns palestrantes do palco que eles haviam montado, de acordo com reportagens alemãs.

Mais de 100 pessoas foram presas e a cúpula de 45 policiais ficou ferida após a manifestação principal.

A polícia de Berlim está processando os organizadores por não usarem máscaras e manterem distâncias, e estão investigando o uso de símbolos de organizações consideradas inconstitucionais na Alemanha - incluindo o partido nazista.

Fonte Times of Israel



405 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação