Buscar
  • Kadimah

Carta aberta ao ator Mário Frias

por Marcos L Susskind



Você comparou a situação dramática da luta contra o covid-19 com ocorrido na página mais negra da história mundial: o Holocausto perpetrado pelos nazistas contra um povo inocente, indefeso, perseguido e vilipendiado.

Além dos 6.000.000 de Judeus, há outros milhares perseguidos por origens étnicas (como ciganos), por razões políticas (como membros de partidos de esquerda), por orientação sexual (gays e lésbicas) ou por deficiência física (como Síndrome de Down).


Sua comparação, Mário Frias, é inaceitável principalmente para alguém que detém neste momento o título de Secretário de Cultura.

Segundo Aurélio Caldas "Cultura significa conhecimento, saber".


Como Secretario de Cultura você não pode deixar de ter conhecimento do que foi o Holocausto.

Então como é que você tem o desplante de comparar uma tentativa de conter uma epidemia (que já matou milhões de pessoas mundo afora e vem matando milhares no Brasil) com a matança proposital, intencional, sádica e industrializada de Seres Humanos?


Mário, há poucos dias atrás você passou por uma intervenção cirúrgica e foi implantado em seu coração um instrumento chamado Stent Cardiológico.

Saiba que a invenção do Stent Cardiológico se deve a dois Israelenses, Kobi Richter e o sua esposa Yehudit Richter.

Pois bem, o Stent que lhe permite viver só existe porque o pai de Yehudit Richter conseguiu se salvar do Holocausto, depois de ser um prisioneiro dos nazistas, condenado a morrer pelo fato de ter nascido Judeu.

Foi só por providência Divina (e nada mais do que a providência Divina) que conseguiu escapar daquele terror.

Num abrigo para ex-prisioneiros dos Nazistas ele conheceu a esposa (também uma das poucas que se salvaram da morte) e juntos constituíram uma família na então Tchecoslováquia (hoje República Tcheca).


Quando Yehudit tinha dois anos, emigraram para Israel. Neste país Yehudit foi oficial do exército onde conheceu seu marido, que servia na mesma base.

Casaram-se e com seu marido (também pesquisador) desenvolveram o Stent que te mantém vivo.


Infelizmente milhares de outras Yehudit's foram mortas. Imagine como seria o mundo com o aporte potencial destas inocentes vidas perdidas!


Agora Mário, você usa a palavra que representa o mais odioso crime na história da humanidade para tentar defender uma posição política?

Que vergonha, Mário. Saiba que há milhões de pessoas que se ofendem com esta comparação.

E eu sou um deles.


No Holocausto foram assassinados meu avô e minha avó que não conheci; os irmãos de meus pais e seus cônjuges, que não conheci; os primos que eu nunca tive.

É por eles e por 6.000.000 que tiveram o mesmo destino que eu não te autorizo a banalizar o termo Holocausto.


Ainda há tempo para você se retratar. Se o fizer, terá meu perdão e respeito. Mas caso não o faça, terá meu repúdio, minha condenação moral e meu desprezo.

210 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação