Buscar
  • Kadimah

Brasil abre escritório comercial em Jerusalém, e promete mudar a embaixada em 2020

Unidade será administrada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos

Por: RAPHAEL AHREN


O governo brasileiro inaugurou neste domingo (15) um escritório comercial na cidade de Jerusalém, em Israel. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, participaram da cerimônia.


No evento, Eduardo Bolsonaro, parlamentar sênior e filho do presidente Jair Bolsonaro, reiterou a promessa de seu governo de mudar a embaixada para Jerusalém em breve.


“Você tem argumentos políticos, você tem argumentos históricos. Você tem vários argumentos para reconhecer que Jerusalém é sua capital. Portanto, não vamos fazer algo extraordinário. Estamos fazendo uma coisa normal: reconhecer seu capital”, ele disse.


Assim como o governo brasileiro pode determinar qual é a capital de seu país, o governo de Israel pode decidir qual cidade deseja como sua capital, acrescentou. "Porque acreditamos que quem abençoa Israel será abençoado, e quem amaldiçoar Israel será amaldiçoado", acrescentou, parafraseando um versículo bíblico.


Bolsonaro, que preside o Comitê de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados do Congresso Nacional, disse que conversou com o pai sobre a mudança da embaixada.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro durante cerimônia de abertura de escritório da Apex, em Jerusalém — Foto: Gil Cohen-Magen/AFP

"Ele me disse que com certeza - é um compromisso - ele vai mudar a embaixada para Jerusalém", disse ele. “Se não transferirmos a embaixada para Jerusalém, se os terroristas acharem que podem nos ameaçar, será uma pena para nós. Se você quer evitar um ataque terrorista, precisa mostrar poder.”


Atualmente, o Brasil ainda estuda as implicações da transferência de sua embaixada para Jerusalém, disse Bolsonaro, enfatizando que, quando a mudança ocorrer, deve inspirar outras nações latino-americanas a seguir o exemplo.


"Se fizermos isso de maneira inteligente, com certeza outros países ficarão à vontade para fazer o mesmo, e é isso que esperamos", disse ele, falando em inglês.


A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, conhecida como Apex-Brasil , opera sob os auspícios do Ministério das Relações Exteriores do país, mas não possui status diplomático. Três pessoas - uma brasileira e duas contratadas locais - trabalharão no novo escritório de Jerusalém, localizado no parque tecnológico Har Hotzvim da cidade.


📷PM Benjamin Netanyahu em um evento que abre a Agência Brasileira de Promoção de Comércio e Investimentos em Jerusalém, em 15 de dezembro de 2019. (Hadas Parush / Flash90)

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que participou da cerimônia de abertura no David Citadel Hotel, no centro de Jerusalém, sublinhou que o escritório comercial que abriu esta semana era “uma parte do compromisso do presidente Bolsonaro de abrir uma embaixada em Jerusalém no próximo ano, como dizemos, b'ezrat Hashem [se Deus quiser]. ”


“O escritório da Apex pode ajudar o Brasil e Israel a perceber o potencial de cooperação entre nós. Israel é talvez a nação de inovação mais dinâmica do mundo - não é isso que eu digo, mas muitos outros estão dizendo isso. Os mercados estão dizendo isso”, disse Netanyahu.


“O Brasil tem um potencial inacreditável. Com seu tamanho vasto, sua população diversificada, suas universidades, os talentos de seu povo. E pensamos que, se fundirmos os grandes potenciais que nossos dois países têm, aprenderemos um com o outro inacreditavelmente. E este escritório, Apex, será realmente a ponta de lança desse desenvolvimento vital”, acrescentou.



Após o evento, Bolsonaro disse a Netanyahu que o Brasil está "comprometido com a mudança da embaixada em 2020", disse o Gabinete do Primeiro Ministro em comunicado.


Mais tarde, no domingo, o Ministério das Relações Exteriores de Israel divulgou uma declaração dizendo que a declaração de Bolsonaro "sem dúvida representa um momento histórico na relação bilateral Israel-Brasil".


O ministro das Relações Exteriores Israel Katz disse que o compromisso de mudar a embaixada é uma reminiscência do "papel central" do país na aprovação do chamado Plano de Partição em novembro de 1947, que levou à criação de Israel.


"O presidente da Assembléia Geral da ONU na época era embaixador do Brasil na ONU Oswaldo Aranha, que presidiu a reunião e apoiou e pressionou fortemente a maioria em favor da resolução", disse Katz.


"Espero que a transferência da embaixada do Brasil para Jerusalém em 2020 sirva de exemplo para outros países da região e de todo o mundo e instale a transferência de todas as embaixadas estrangeiras em Israel para nossa capital".


Em março, durante uma visita do presidente Jair Bolsonaro a Israel, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil reconheceu que “Jerusalém é inseparável da identidade do povo judeu há mais de três milênios e se tornou o coração político do moderno e próspero Estado da Israel ”, mas deixou de reconhecer a cidade como capital de Israel.


Durante sua viagem a Israel, Bolsonaro anunciou a abertura do escritório na cidade “para promover comércio, investimento, tecnologia e inovação”.


___

Fonte: Times of Israel

16 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação