Buscar
  • Kadimah

Apesar do vírus, 30 países da Europa mantém atividades inter-religiosas

A partir de 6 de setembro, comunidades judaicas altamente protegidas convidarão o público em geral para aulas, passeios e outros programas para os Dias Europeus da Cultura Judaica

Por CNAAN LIPHSHIZ




Todo mês de setembro desde 2000, sinagogas e outros locais de herança judaica em centenas de cidades pela Europa - um continente onde as instituições judaicas normalmente ficam firmemente bloqueadas por segurança - abertas ao público para um evento de um dia que visa promover laços entre as comunidades judaicas e europeus não judeus.

Este ano, a série Dias Europeus da Cultura Judaica, sem dúvida, será diferente por causa da pandemia do coronavírus.

Mas comunidades em muitas cidades, incluindo na Espanha e Itália, os dois países mais afetados pelo COVID-19 na Europa, estão planejando realizar pelo menos alguns eventos presenciais. Na verdade, essas duas nações estão aumentando sua participação: 40 cidades na Espanha, ante 30 no ano passado, e 90 na Itália, ante 88 no ano passado. Ao todo, os eventos da série acontecerão em 30 países, desde Luxemburgo, onde um cantor fará um concerto na sinagoga da cidade de Luxemburgo, até a Eslovênia, onde um guia fará passeios pelo cemitério judeu em Rozna Dolina, uma cidade próxima a fronteira com a Itália, e as celebridades enterradas lá. Juntamente com os eventos presenciais, outros serão filmados e transmitidos ao vivo, inclusive durante as primeiras oito horas de 6 de setembro, o dia de abertura da série que se estende ao longo do mês.

Detalhes sobre como visualizar os eventos serão disponibilizados no site da Associação Europeia para a Preservação e Promoção da Cultura e do Patrimônio Judaico, que organiza a programação. “Este ano, devido à terrível emergência sanitária que assolou o mundo, teremos uma edição que será necessariamente diferente”, diz o comunicado dos organizadores da associação, de bairros históricos judaicos da Europa e de Portugal. O fato de o projeto estar acontecendo este ano na Espanha e na Itália - dois ex-epicentros da pandemia do coronavírus na Europa - demonstra que “a cultura judaica não só está muito presente, mas também mostra uma grande resiliência”, disse o comunicado. Espanha e Itália estão entre apenas cinco países europeus cuja taxa de mortalidade pelo vírus supera as 531 mortes por milhão de habitantes nos Estados Unidos.

No entanto, a epidemia eclodiu nesses países semanas antes de começar a se espalhar nos Estados Unidos e, desde então, eles aliviaram suas medidas de contenção, que incluíam bloqueios completos. (Uma segunda onda está se formando na Espanha.) A ilha de Palma de Maiorca , na costa oriental da Espanha continental, tem uma comunidade judaica local com uma história única .

Este ano marcará sua segunda participação nos Dias Europeus da Cultura Judaica, com uma mistura de eventos físicos e virtuais, disse Dani Rotstein, um guia turístico e membro da comunidade local. No terreno, a sinagoga local estará aberta aos visitantes de 26 a 27 de setembro, pouco antes de Yom Kippur.

Um concerto de música ladino ao ar livre será realizado em 6 de setembro, e visitas guiadas gratuitas pelo antigo bairro judeu da cidade de Palma serão oferecidas todos os domingos durante setembro e outubro, cortesia do município.

“Acho que o compromisso de realizar Dias Europeus da Cultura Judaica neste ano, após a tragédia do coronavírus, mostra como a Espanha, como sociedade, está cada vez mais interessada em sua história judaica”, disse Rotstein. Além disso, Rotstein este mês começou a oferecer visitas guiadas virtuais em espanhol, catalão e inglês no Zoom com uma câmera estabilizada. Os espectadores podem sintonizar para vê-lo visitando locais de herança judaica nas ruas de Palma e o museu judaico que foi inaugurado lá em 2015. Na cidade de Zaragoza, no nordeste da Espanha, um jantar de Rosh Hashanah para não judeus será realizado no dia 19 de setembro.

O evento, que contará com especialistas em história judaica explicando os costumes do feriado judaico, foi transferido para um ambiente ao ar livre em um parque público para reduzir o risco de contágio. Moked, a revista da comunidade judaica italiana, vangloriou-se em um artigo como “Roma, a mais antiga comunidade judaica da Diáspora, será a cidade líder” nos eventos dos Dias Europeus da Cultura Judaica. A comunidade de Roma oferecerá passeios virtuais em sinagogas, museus e bairros judeus, além de apresentações, palestras e mesas redondas, informou Moked.

Fonte Times of Israel

25 visualizações0 comentário
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação