Buscar
  • Kadimah

Acordo Israel-Marrocos é um triunfo para Andre Azoulay



A empolgação era palpável em Israel quando o Marrocos se tornou o quarto país árabe a concordar em "normalizar" as relações com o Estado judeu depois de uma campanha diplomática planejada pelo governo Trump.


Os dois países concordaram em iniciar voos diretos e abrir escritórios em Rabat e Tel Aviv como um prelúdio para o estabelecimento de relações diplomáticas plenas.


Ontem à noite, durante a cerimônia para acender a primeira vela de Chanucá no Muro das Lamentações, o primeiro-ministro Netanyahu disse:

“O povo de Marrocos e o povo judeu têm um relacionamento caloroso no período moderno. Todos sabem da tremenda amizade demonstrada pelos reis de Marrocos e pelo povo marroquino à comunidade judaica de lá. E centenas de milhares desses judeus marroquinos vieram para Israel, e eles formam uma ponte humana entre nossos dois países e nossos dois povos, de simpatia, respeito, de carinho e amor. Acho que esta é a base sobre a qual podemos agora construir esta paz. "


O quid pro quo para uma paz total é o reconhecimento pelos EUA da reivindicação de Marrocos ao Saara Ocidental. Em 1975, o reino organizou uma pacífica Marcha Verde de milhares de marroquinos no Saara Ocidental. A anexação é fortemente disputada pelos guerrilheiros da Polisario, apoiados pela Argélia, e pelo povo do Sahel.


A autora Lyn Julius dando uma cópia de seu livro Uprooted a Andre Azoulay


O negócio também representa um triunfo para o conselheiro real marroquino Andre Azoulay.

Durante décadas, Azoulay instrumentalizou a comunidade judaica no Marrocos para obter o apoio dos EUA para os objetivos de política externa do Marrocos.

Embora apenas 3.000 judeus permaneçam em Marrocos de uma comunidade de 265.000, Azoulay empurrou a cultura judaica para o primeiro plano.

Recentemente, decidiu-se incluir a história judaica no currículo da escola primária. Azoulay está por trás da preservação da herança judaica , iniciativas inter-religiosas entre muçulmanos e judeus, festivais de música e concertos que atraem judeus e muçulmanos.

Cada concerto misto termina com o canto de Allah Hu Akbar, uma espécie de hino à reivindicação do Marrocos sobre o Saara Ocidental .

Já houve cooperação entre Israel e Marrocos na frente de inteligência.

O Marrocos ajudou a mediar o acordo de paz com o Egito, e 50.000 israelenses de origem marroquina visitam o país todos os anos .

Fonte/ Point of No Return

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação