Buscar
  • Kadimah

18 de março - dia nacional da imigração judaica


Dezoito de março é o Dia Nacional da Imigração Judaica, uma homenagem à contribuição dos judeus para a formação da sociedade brasileira. Nesse dia, vamos dar destaque a uma mulher que, nas últimas décadas, dedicou-se com afinco a pesquisar e historicizar a imigração judaica para o Rio Grande do Sul.

Ieda Gutfreind graduou-se em História pela UFRGS e trabalhou como professora da educação básica em escolas da rede pública e privada de Porto Alegre. Em 1979, adquiriu seu título de Mestre em História pela PUCRS com a dissertação “RS: 1889-1896. A Proclamação da República e a reação liberal através da imprensa”.


Alguns anos mais tarde, conclui seu Doutorado em História pela USP com a tese “A construção de uma identidade: a historiografia rio-grandense de 1925 – 1975”. De 1980 a 1992, foi professora do Departamento de História da UFRGS e, de 1993 a 2005, integrou o Programa de Pós-Graduação em História da UNISINOS. Durante sua trajetória, trabalhou com temas voltados à historiografia, teoria e metodologia de pesquisa. O interesse pela temática da imigração judaica surgiu quando começou a dar-se conta que algumas etnias, como a alemã e a italiana, tinham um próspero campo de estudos e outras ainda eram pouco exploradas pelos historiadores. Com o apoio das entidades de fomento à pesquisa, desenvolveu um longo trabalho de revisão historiográfica, procurando iluminar alguns períodos e acontecimentos da imigração dos judeus para o sul do País. O resultado do estudo deu origem ao livro “A imigração judaica no Rio Grande do Sul: da memória para a História”.


Ieda também se dedicou às pesquisas envolvendo a oralidade. Criou o Núcleo de Pesquisa em História Oral da UNISINOS e envolveu-se com a Associação Brasileira de História Oral. Junto com outros professores conseguiu trazer o Congresso Nacional de História Oral para a cidade de São Leopoldo.


Na última década, num esforço conjunto com a também pesquisadora Anita Brumer, deu sequência ao trabalho desenvolvido no Instituto Cultural Judaico Marc Chagall, atuando na presidência e vice-presidência da Instituição. Foi a responsável por ampliar o acervo de entrevistas de História Oral do ICJMC criando projetos sobre as comunidades judaicas do interior do RS, além de desenvolver entrevistas a partir de eixos temáticos como o teatro idíche, sionismo e entidades femininas. Dedicou-se também a investigar os cristãos-novos, organizando com outros importantes historiadores gaúchos o grupo “Cristãos Novos e a Inquisição na América Meridional”. Atualmente, Ieda coordena junto com Liana Richter o Painel Compromisso Moral e Lições de Solidariedade. O projeto leva às instituições escolares e universidades do Estado os depoimentos de judeus que vivenciaram os horrores da Segunda Guerra Mundial numa missão de valorização e respeito à vida e aos direitos humanos.


Ieda Gutfreind é incansável na busca pelo conhecimento e, ainda hoje, segue pesquisando e buscando lançar novos olhares para a história da imigração judaica no Rio Grande do Sul.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
banner-2021.png

Seja um Patrono Kadimah

Apoie a Revista Kadimah e fortaleça mais ainda a publicação